Mês: maio 2018

Tiara usada por Meghan Markle tem história de 125 anos

Meghan Markle trouxe uma peça ao seu estilo no casamento com o Príncipe Harry, neste sábado, 19, datada de 125 anos atrás. Ela foi ao cofre da monarquia britânica para escolher uma tiara de diamantes para a cerimônia. A tiara foi feita para a Rainha Mari no casamento com o rei George V, em 1911. O item de luxo e de tradição da realeza foi projetada especificamente para acomodar um broche que foi dado a Mary em 1893 para comemorar seu noivado com o então príncipe George. A rainha Elizabeth II herdou as peças em 1953. A avó do Príncipe Harry tem centenas de tiaras armazenadas em cofres fechados. A tradição real sustenta que a rainha deixaria que Markle pegasse emprestada uma das heranças brilhantes. Nos meses que antecederam o casamento real, houve especulação sobre se Markle continuaria a tradição da tiara e, em caso afirmativo, se ela escolheria uma que pertencia à falecida mãe de Harry, princesa Diana. Fonte: https://istoe.com.br/tiara-usada-por-meghan-markle-tem-historia-de-125-anos-na-familia-real-britanica/

Mãe é uma joia!

Mãe é uma joia!

Se um diamante é para sempre, uma mãe é a certeza de que sempre temos para onde voltar.

Se uma joia tem valor sentimental, uma mãe é o próprio sentimento.

Assim como na joia, o requinte de uma mãe está na delicadeza e, muitas vezes, na simplicidade.

Seus anéis simbolizam sua união e compromisso com o desenvolvimento de cada filho.

Suas pulseiras nos lembram que não lhes falta pulso para lutar por nós.

Seus brincos são adornos a provar a todo tempo que ela sempre tem ouvidos para seus filhos, desde quando velava seu sono, até quando perdia o sono à espera do retorno de seus pequenos, quando começavam a descobrir o mundo.

Sim, cada mãe é uma joia. Rara!

Feliz Dia das Mães!

Claudia Lofredo

História das joias – Você sabe o que são filigranas?

História das joias

Você sabe o que são filigranas?

Certamente você já ouviu a palavra “filigranas”. Ela é normalmente usada quando queremos nos referir a algo que tem muitos detalhes – “muitas filigranas”. Mas você sabe ao certo o que elas significam? Continuando nossa série sobre a história das joias, vamos contar um pouco sobre a técnica das filigranas.

Filigrana é uma técnica milenar de joalheria. Trata-se de um trabalho ornamental feito de fios muito finos e bolinhas de metal, que são soldadas, compondo desenhos. São usados metais como ouro e prata, que são torcidos ou trançados, compondo as peças. A técnica foi muito popular nos períodos carolíngio (786 a 900) e romântico (1000 a 1200). As filigranas também eram usadas em capas de livros, relicários e objetos religiosos. Mas o principal uso era mesmo para a composição de joias, em que os fios de ouro ou prata eram combinados com pedras preciosas, marfins, camafeus e trabalhos esmaltados.

Já na Europa do século elas passaram a ser novamente populares, com técnicas de trabalhos vazados.

Hoje se sabe que as filigranas remontam a tempos ainda mais antigos, pois foram encontrados, em Portugal, peças que seriam do período de 2500 a 2000 a.C. Por isso há muita identidade das filigranas com as técnicas da ourivesaria portuguesa. As peças mais comuns são crucifixos, cruzes de Malta, relicários, corações de Viana, colares e brincos.

Com o vai e vem da moda, as peças em filigranas sempre voltam a fazer parte dos nossos acessórios. Elas trazem leveza e requinte ao visual. Que tal experimentar?